Whats: (11) 99727-6100                      Seja Bem Vindo a nossa Loja!!

HM VIVER

Mais Imagens

HM VIVER
R$137,99

Disponível: Em estoque

Auxilia nos problemas relacionados AO SISTEMA NERVOSO CENTRAL COMO: 

Impotência sexual, depressão, ansiedade, estresse, nervoso, cansaço, insônia falha na memória e muitos outros. 

Ou pague em até 18 x de R$ 10,03 com juros (Total a prazo R$180,45)
1 x de R$ 137,99 sem juros10 x de R$ 16,17 com juros
2 x de R$ 72,11 com juros11 x de R$ 14,91 com juros
3 x de R$ 48,77 com juros12 x de R$ 13,85 com juros
4 x de R$ 37,12 com juros13 x de R$ 12,97 com juros
5 x de R$ 30,12 com juros14 x de R$ 12,21 com juros
6 x de R$ 25,46 com juros15 x de R$ 11,55 com juros
7 x de R$ 22,14 com juros16 x de R$ 10,98 com juros
8 x de R$ 19,65 com juros17 x de R$ 10,47 com juros
9 x de R$ 17,71 com juros18 x de R$ 10,03 com juros
OU
Descrição

Detalhes

HM-VIVER O PRODUTO DO SÉCULO!

Produto nativo da Amazônia Ocidental .O HM-VIVER vem sendo estudado há 20 anos por Cientistas e Pesquisadores e há 25 anos pelo INPA- Instituto Nacional de Pesquisa da Amazônia. Por conter um alto teor de niacina (vitamina B3), tiamina, riboflavina, caroteno e ácido ascórbico, proteínas , fibras, minerais como cálcio, ferro e fósforo. Auxilia a diminuição de triglicérides e do colesterol. Melhora a circulação e evita a hipertensão arterial.

HM Viver é um produto natural , contém elevada concentração de nutrientes como:

Niacina - vitamina B3 - Tiamina - Riboflavina -Caroteno e Ácido Ascórbico - Proteínas - Fibras - Minerais como Cálcio - Ferro e Fósforo. Auxilia a diminuição de triglicérides e do colesterol. Melhora a circulação e evita a hipertensão arterial.

A Niacina contribui para um perfeito funcionamento do sistema nervoso saudável e para um bom desempenho da função cerebral. Ela age na diminui ção dos níveis de glicemia, possibilita o equilíbrio do sistema digestivo, ajuda a aliviar as pertubações gastrointestinais além de promover benefícios à pele.

NIACINA ( B3 )

A Niacina é indicada na esclerose múltipla, na nevralgia do trigêmeo, ansiedade e hipercolesteronemia (aumento de colesterol) Em excesso pode causar vermelhidão e calor (em doses maiores que 1 g/dia), além de náusea e distúrbios intestinais. Pessoas com predisposição a ter gota devem ter cuidado com ela, pois a quantidade ácido úrico em circulação pode aumentar.

Sua fonte natural são: bife de fígado, atum, carne branca de frango, rim, peixe-espada, salmão, amendoim, semente de girassol...

Em um recente estudo a Niacina foi vista como uma vitamina que ajuda o tratamento de pacientes diabéticos.

VITAMINA B3 - NIACINA

Niacina é o termo genérico para a nicotinamida ou ácido nicotínico. Sua absorção ocorre no intestino delgado e um pequeno armazenamento ocorre no organismo. Qualquer excesso é eliminado através da urina.

A Niacina contribui para um perfeito funcionamento do sistema nervoso saudável e para um bom desempenho das funções cerebrais. Ela age na diminuição dos níveis de glicemia, possibilita o equilibrio do sistema digestivo, ajuda a aliviar as perturbações gastro- intestinais além de promover benefícios à pele é um alimento que influi fortemente nutrindo o organismo humano, atuando diretamente nos sistemas glandular, circulatório, nervo so, urinário e digestivo .

Pelagra (dermatose, diarréia, inflamações na língua, disfunção intestinal e cerebral)

Pode ser prejudicial a pessoas com asma ou doença de úlcera pélvica.

Participa nos mecanismos de oxidação celular, intervém no aproveitamento normal dos prótides pelo organismo, influência o metabolismo do enxo- fre, tem sido usado como agente farmacológico para diminuir o colesterol do plasma. Possibilita o metabolismo das gorduras e carboidratos. Compo nente de coenzimas relacionadas às enzimas respiratórias e vasodilatadoras. Reduz triglicerídeos, antipelagra. Ajuda a prevenir e aliviar a dor de ca beça provocada por enxaqueca. Estimula a circulação e reduz a pressão sanguínea alta. Importante nas funções cerebrais e revitalização da pele, também na manutenção do sistema nervoso e do aparelho digestivo.

Pode ser formada a partir de um aminoácido, o triptofano, em presença da vitamina B6.

Para que se utiliza A vitamina B3 é utilizada na formação de duas coenzimas que participam na produção de energia nas células. É necessária para a formação de neurotransmissores e contribui para manter a pele e o aparelho digestivo saudável. Em que situações devem ser utilizadas A vitamina B3 é utilizada na formação de duas coenzimas que participam na produção de energia nas células. É necessária para a formação de neurotransmis- sores e contribui para manter a pele e o aparelho digestivo saudável. Como se utiliza vitamina B3 encontra-se em maior quantidade na carne magra e aves (frango, peru), peixe, fígado, leguminosas, batatas, frutos secos, cereais integrais.

O leite, o queijo e os ovos, apesar de serem pobres em niacina, ajudam a evitar a deficiência desta vitamina, devido ao seu elevado conteúdo em triptofano.

Que precauções deve ter A vitamina B3 encontra-se em maior quantidade na carne magra e aves (frango, peru), peixe, fígado, leguminosas, batatas, frutos secos, cereais integrais.

O leite, o queijo e os ovos, apesar de serem pobres em niacina, ajudam a evitar a deficiência desta vitamina, devido ao seu elevado conteúdo em triptofano. Que problemas podem surgir com a sua utilização Manifestações de excesso O excesso de vitamina B3 através de suplementos de ácido nicotínico pode causar rubor da pele e lesão hepática.

OS SINTOMAS DE DEFICIÊNCIA DE VITAMINA B3 SÃO:

Fadiga; depressão; erupção cutânea pigmentada (mais provável com exposição à luz).

A forma mais grave de carência origina pelagra, que se manifesta por pele grossa e pigmentada, língua quase negra, com quadro de dermatite, de-mência, diarreia e morte. Modo e quantidade de administração Segundo o «Food and Nutrition Board» (National Research Council-National Academy of Sciences, 1989), a quantidade diária recomendada de vitamina B3 ou niacina. (NIACINA E NIACINAMIDA - FATOR PP) O stress emocional pode induzir um aumento dos níveis de ácidos gordos no ser humano, associado a um aumento da frequência cardíaca e da pressão diastólica, bem como a um aumento dos níveis de adrenalina e de noradrenalina no sangue. O incre- mento dos níveis de ácidos gordos pode ser inibido mediante um tratamento de 0,5 g de ácido nicotínico, seis vezes ao dia. Para o tratamento da pelagra (deficiência grave de niacina), administram-se doses diárias de 300 a 500 mg de nicotinamida. Obtiveram-se, igualmen te, bons resultados no tratamento das enxaquecas e das cefaleias vasomotoras com doses diárias de 1 g de nicotinamida durante 2 a 3 meses.

Esta vitamina administra-se igualmente quando existem perturbações digestivas do tipo glossite ou estomatite, nas colites e enterocolites assim como em casos de diarreia profusa, espru tropical ou este atorreia idiopática, regra geral, associada a outras vitaminas do complexo B. NIACINA E NIACINAMIDA (FATOR PP) Histórico: Pelle agra é o termo em italiano para pele áspera, doença conhecida há séculos na Itália, onde comia-se principalmente milho. Em 1914, Funk postulou que a pelagra era uma doença carencial. Pouco tempo depois Goldberg demonstrou que se podia curar a pelagra com carne fresca, ovos e leite. Goldberg também observou que se dava a dieta carente dos humanos aos cães, causando a doença da língua preta. Depois verificaram ser também um componente hidrossolúvel, termo estável que acompanhava o complexo B. Em 1935, Warburg e outros isolaram o ácido nicotínico do sangue de cavalos.

Sinônimos: ácido nicotínico e niacinamida e fator PP. Também denominados de vitaminas da inteligência.

DOSES DIÁRIAS RECOMENDADAS: 15 MG.

Principais funções: influencia a formação de colágeno e a pigmentação da pele provocada pela radiação ultravioleta. No cérebro, a niacina age na formação de substâncias mensageiras, como a adrenalina, influenciando a atividade nervosa.

Principais fontes: carnes e cereais. Origina-se do metabolismo do triptofano: 60 mg de triptofano produzem 1 mg de Niacina. As pessoas que se alimentam principalmente à base de milho são propensas a manifestações de carência de Niacina por ser o milho muito pobre em triptofano.

Manifestações de carência: a doença dos 3 "D", composta por Diarreia, Demência e Dermatite. A língua pode apresentar cor avermelhada, ulcera- ções e edema. Pode haver salivação excessiva e aumento das glândulas salivares. Podem aparecer dermatites parecidas com queimaduras de pele, diarreia, este atorreia, náuseas e vômitos. No sistema nervoso, aparecem manifestações como cefaleia, tonturas, insônia, depressão, perda de me- mória e, nos casos mais severos, alucinações, demência e alterações motoras e alterações neurológicas com períodos de ausência e sensações nervosas alteradas.

Manifestações de excesso: a Niacina não costuma ser tóxica, mesmo em altas doses, mas pode provocar coceira, ondas de calor, hepatotoxici- dade, distúrbios digestivos e ativação de úlceras pépticas. Observação: a denominação PP significa Previne Pelagra, manifestação encontrada principalmente em alcoólatras de destilados quando mal alimen tados. A pelagra é caracterizada pelas alterações cutâneas, gastrointestinais e cerebrais. O sintoma inicial é o surgimento de áreas avermelhadas e simétricas na pele, as quais se assemelham a queimaduras solares e pioram com a exposição ao sol (lesões fotossensíveis). As alterações cutâneas não desaparecem e podem tornar-se acastanhadas e descamativas. Normalmente, os sintomas cutâneos são acompanhados por distúrbios gastro- intestinais como, por exemplo, a náusea, a inapetência e a diarreia (fétida e, algumas vezes, sanguinolenta). Todo o trato gastrointestinal é afetado. O estômago pode não produzir ácido em quantidade suficiente (acloridria) e a língua e a boca inflamam, apresentando uma cor escarlate brilhante.

A vagina também pode ser afetada. Finalmente, ocorrem alterações mentais (p.ex., fadiga, insônia e apatia). Normalmente, esses sintomas prece- dem uma disfunção cerebral (encefalopatia), a qual é caracterizada pela confusão mental, desorientação, alucinações, amnésia e inclusive psicose maníaco-depressiva. O diagnóstico é estabelecido baseando-se nos hábitos alimentares, nos sintomas e nas concentrações baixas dos subprodu- tos da niacina na urina. Os exames de sangue também podem ser úteis. O tratamento da pelagra consiste na administração de doses elevadas (cer ca de 25 vezes a QDR) de niacinamida, uma forma de niacina, juntamente com doses elevadas (10 vezes a QDR) de outras vitaminas do complexo B. As vitaminas B1, B2, e B6 e o ácido pantotênico devem ser administrados porque as deficiências dessas vitaminas produzem alguns dos sinto- mas da pelagra.

TIAMINA ( B 1 )

A Vitamina B1 (nome químico tiamina, anteriormente conhecida também por vitamina F) tem as seguintes funções no organismo:

Importante para o bom funcionamento do sistema nervoso, dos músculos e do coração. Auxilia as células na produção de combustível para que o corpo possa viver. Melhora a atitude mental e o raciocínio. A carência desta vitamina na alimentação humana pode conduzir à avitaminose designada por beribéri.

Sinais de falta: Insônia, nervosismo, irritação, fadiga, depressão, perda de apetite e energia, dores no abdômen e no peito, sensação de agulhadas e queimação nos pés, perda do tato e da memória, problemas de concentração.

Inimigos da Vitamina B1: Álcool, café e cigarro, antiácido, barbitúricos, diuréticos, excesso de doces e açúcar.

A vitamina B1 é essencial para converter os açúcares, as gorduras e o álcool em energia. É necessária para o bom funcionamento dos sistemas nervoso e muscular, incluindo o bom funcionamento do músculo cardíaco.

O que é A vitamina B1 ou tiamina é uma das vitaminas do chamado complexo B. Este grupo de vitaminas tem em comum (exceto a vitamina B12 e o ácido fólico), o facto de a sua função estar relacionada com a libertação de energia contida nos alimentos. Também, à exceção da vitamina B12, têm a característica de ser solúveis em água, o que impede o seu armazenamento no corpo. Para que se utiliza A vitamina B1 tem a função de transformar os açúcares (hidratos de carbono), as gorduras e o álcool em energia. Ajuda também a eliminar produtos tóxicos resultantes do metabolismo, que de outra forma causariam lesões ao coração, bem como ao sistema nervoso. Como se utiliza A vitamina B1 encontra-se sobretudo no fígado, coração e rins, na carne de porco, nos flocos de cereais, pão e massas enriquecidos, nas batatas, nas leguminosas, arroz e pão integral e frutos secos (castanha de caju, amêndoa, amendoim, nozes). Que problemas podem surgir com a sua utilização. Manifestações de excesso O excesso de vitamina B1 é eliminado pelos rins sendo os sintomas de excesso desconhecidos.

A tiamina é absorvida principalmente na parte superior do duodeno e um aumento significativo da concentração tiamínica é observado na secção distal do intestino somente após ingestão de grandes doses. Depois de absorvida, a tiamina, através da mucosa intestinal, é transportada para o fígado, por meio da circulação portal e, dessa forma, parte da vitamina aí encontra retorna ao lúmen intestinal com a bile, em um ponto bem distante do local de absorção máxima. Na sua quase totalidade, a tiamina é introduzida com os alimentos, em partes sob sua forma livre (especialmente os alimentos de origem animal), e mais frequente, sob forma de piro fosfato.

A tiamina absorvida pelo intestino delgado sofre fosforilação na mucosa intestinal, sendo absorvida sob essa forma. Quando da administração oral de doses elevadas, alguma tiamina pode ser secretada pela mucosa intestinal dentro do lúmen, aparecendo nas fezes sob forma de tiamina não absorvida.

Já nos alcoólatras parece existir uma deficiência de absorção de tiamina que provavelmente em grande parte é responsável pela incidência de déficit tiamínico observado nesses indivíduos.

A tiamina é encontrada nas células como mono fosfato ou piro fosfato e distribuída em todos os tecidos e as mais altas concentrações encontram-se no fígado, cérebro, rim e coração.

RIBOFLAVINA ( B 2 )

A vitamina B2 é essencial para a libertação de energia contida nos alimentos. É um componente essencial de todas as células vivas. É necessária também para o adequado funcionamento da vitamina B6 e da vitamina B3 (niacina).

O que é A vitamina B2 ou riboflavina é uma das vitaminas do chamado complexo B. Este grupo de vitaminas tem em comum (exceto a vitamina B12 e o ácido fólico), o facto de a sua função estar relacionada com a libertação de energia contida nos alimentos. Também, à exceção da vitamina B12, têm a característica de ser solúveis em água, o que impede o seu armazenamento no corpo.

As suas necessidades são diretamente proporcionais à quantidade de calorias da dieta.

Para que se utiliza A vitamina B2 tem a função de libertar a energia contida nos alimentos, em conjunto com outras vitaminas. Promove a saúde da pele, unhas e cabelo. Ajuda o organismo a suportar melhor o stress.Como se utiliza A vitamina B2 encontra-se sobretudo no leite, queijo e iogurtes integrais ou enriquecidos, no fígado e coração, vegetais de folha verde, carne, peixe, ovos, cereais de pequeno-almoço enriquecidos. Que problemas podem surgir com a sua utilização Manifestações de excesso O excesso de vitamina B2 é eliminado pelos rins sendo os sintomas de excesso desconhecidos.

A Riboflavina e FMN são rapidamente absorvidas no trato gastrintestinal através de mecanismo de transporte específico que envolve a fosforilação da riboflavina em FMN, realizando-se a conversão intestinal em outros locais pela Flavoquinase, sendo que a reação sensível ao hormônio tireoidiano e inibida pela dorpromazina e pelos depressores tricíclicos.

A riboflavina é distribuída por todos os tecidos e armazenada em pequenas quantidades e fixada sob forma de flavoproteínas. No globo ocular são encontrados altos teores na lente e na córnea.

Quando a riboflavina é ingerida em teores iguais às necessidades diárias, a excreção urinária atinge cerca de 9% da quantidade ingerida, processando-se a eliminação sob forma de riboflavina livre e parte como FMN. Alguns metabólicos são também excretados não sendo mais biologicamente ativos.

Ela acha-se presente nas fezes, representando provavelmente vitamina sintetizada para micro-organismos intestinais desde que a soma total pelas fezes exceda a quantidade ingerida. Este processo não evidencia que a riboflavina sintetizada pelas bactérias no cólon possa ser absorvida.

Comentários

Tags do Produto

Use espaços para separar as tags. E aspas simples (') para frases.